Diário da Serra

Piloto norueguês que decolou de MT declarou emergência antes de aeronave cair e matar dois

Olhar Direto 28/02/2019 Política
Política

O empresário norueguês Ernesto Niklaus Moeri, de 71 anos, piloto do Cessna C182 (prefixo PR-ENM), que caiu no sudoeste do Pará, na manhã do último sábado (23), após decolar de Alta Floresta, declarou emergência antes da aeronave colidir em uma região de mata fechada. Com ele estava Maria Cristina, de 51 anos, que também morreu.


Consta no relatório preliminar do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, a aeronave decolou com o intuito de fazer o transporte de passageiros da cidade de Alta Floresta até Jacareacanga (PA). Porém, durante o trajeto o piloto teria declarado emergência e, logo depois, não houve mais contato com a torre de controle.
 
A principal hipótese investigada é a de falha ou mau funcionamento do motor em voo. O empresário ainda tentou pousar a aeronave em uma região de mata fechada, mas não obteve êxito.
 
A aeronave foi encontrada, bastante danificada, apenas no domingo (24). O empresário e a mulher que viajava com ele estavam mortos. O avião estava com toda a documentação em dia.
 
As informações apontadas pelo Cenipa são preliminares e visam a transparência das informações obtidas até o momento. Por isso, o órgão explica que ela “não contém as análises das informações coletadas, fatores contribuintes e estão sujeitas a modificações conforme o andamento dos trabalhos de investigação. Portanto, nenhuma conclusão deve ser feita a partir delas”.

O caso

Ernesto Niklaus Moeri, de 71 anos, e Maria Cristina, de 51 anos, morreram na manhã do último sábado (23), após a aeronave em que eles estavam cair no sudoeste do Pará. As vítimas haviam decolado de Alta Floresta (791 quilômetros de Cuiabá). Segundo a Polícia Civil, a aeronave foi encontrada próxima ao garimpo Nova Esperança, no município de Jacareacanga (PA).

O Ekos Brasil confirmou ao Olhar Direto que Ernesto Moeri, presidente do instituto, era quem estava na aeronave. Segundo as informações, ele tinha um hobby de tirar fotos em diversas localidades e isto seria o que ele estava fazendo. Maria não tinha parentesco com ele.

Ernesto Moeri era geólogo formado pela Universidade de Berna, Suíça, e fundador do Ekos Brasil. Após receber o PhD em geologia da Universidade de Berna, Suíça, em 1975, Ernesto Moeri começou a sua carreira profissional como geólogo de exploração mineral, trabalhando nos EUA, Groenlândia, Bolívia e Brasil. Em 1980, fundou a Geoklock, hoje líder de mercado em tecnologia ambiental. Ernesto era o presidente do Ekos Brasil.

O Instituto Ekos Brasil é especialista em projetos de impacto ambiental como planos de manejo, diagnósticos, monitoramento e gestão de impactos de visitação em unidades de conservação, produção de eventos e mais.

Notícias da editoria