Município irá ceder médico para atender área indígena

Rodrigo Soares / Redação DS 08/01/2019 Saúde

Atendimento será realizado todas as quintas e sextas, em duas aldeias

Profissional irá atender a partir da próxima semana

A Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra cedeu um profissional habilitado através do programa Mais Médicos para atender a população indígena. A partir da próxima semana, o atendimento será realizado todas as quintas e sextas-feiras, nas Aldeias Formoso e Rio Verde.


De acordo com o secretário municipal de Saúde, Itamar Bonfim, até então a área indígena de Tangará da Serra não tinha conseguido médicos do programa do Governo Federal. “Aqui no município temos 15 vagas para o Mais Médicos, sendo que 14 já estão preenchidas. Além dessas, tem vagas para dois médicos para área indígena por meio do Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs). Porém, essas duas vagas ainda não foram preenchidas”, explicou Bonfim, destacando que diante da situação, o Município cedeu um dos médicos que atende na área rural para prestar atendimento à população indígena, enquanto as duas vagas do DSEIs não são preenchidas.


“Eles (indígenas) encontram-se sem médico e alguns fazem uso de medicamento controlado e outros fazem tratamento contínuo.  Para retirar medicamento eles precisam de receita, e para isso precisam de médico. Diante disso fizemos uma reunião e vamos ajudar a saúde indígena até que convoque o profissional do Mais Médicos”, relatou o secretário.


Apesar do atendimento médico ocorrer apenas nas Aldeias Formoso e Rio Verde, ainda de acordo com Itamar Bonfim, indígenas de outras aldeias poderão ser atendidos normalmente. “Os indígenas que estão mais longes poderão ser atendidos em uma das duas aldeias onde o médico estará prestando o serviço. Lembrando que isso é uma parceira da Secretaria Municipal de Saúde com a população indígena de Tangará da Serra. A gente não teria obrigação, mas como a gente tem indígena como cidadão tangaraense e usuário do SUS, estamos fazendo essa parceria até regularizar a situação do Mais Médicos”, finalizou Bonfim.

 

Notícias da editoria