Moradores reclamam por situação Posto de Saúde

Redação DS 05/03/2018 Saúde
Saúde

Moradores do Distrito de São Joaquim do Boche estiveram reunidos na última semana, quando solicitaram a presença da imprensa para reivindicar melhorias no Posto de Saúde local, bem como mostrar a situação de alguns materiais abandonados na unidade que foi desocupada no ano passado.
De acordo com eles, no mês de maio do ano passado, a Secretaria de Saúde retirou os materiais do Posto de Saúde do Distrito, com a promessa de realizar melhorias na estrutura, mas até o momento, nada aconteceu. “Tiraram nós daqui desde o mês de maio  de 2017 e o secretário confirmou que no mês de novembro ele daria este posto reformado para nós com toda legalidade”, desabafou uma das moradoras. “Estamos pedindo a volta que tiraram de nós o dentista que atendia duas vezes na semana e agora atende só uma vez e pedimos de volta porque temos muitas crianças aqui para fazer tratamento. A secretária está de férias e não tem quem mede uma pressão. Onde nós vamos recorrer agora?  Faltava nós registrarmos a associação e registramos, e em nome dessa associação vamos tomar as medidas cabíveis. Se for necessário nós vamos ainda tentar falar com o secretário e ele documentar para nós. Vamos exigir dele um documento quando vai começar, mas é preto no branco. Não vamos mais de blá, blá, blá. Acho que falar nós já falamos demais. Isso aqui é descaso”, reforçou, ao destacar que houve inclusive a intenção de que os moradores saíssem do Boche para receberem atendimento no Progresso, o que segundo os moradores é inviável.
Além da reclamação da reforma que não veio, os moradores mostraram que no local haviam prontuários médicos de moradores atendidos na unidade, quando de seu funcionamento. “Isso é um descaso. As fichas todas aqui largadas. Isso é um documento”, frisou uma senhora.

Saúde aguarda liberação de verba para reforma de posto

Após tomar conhecimento dos fatos, o secretário de Saúde de Tangará da Serra, Itamar Bonfim disse à redação do DS, que esteve no Posto de Saúde do Boche para averiguar a situação e que retornaria ao local, acompanhado do prefeito, Renato Gouveia. Segundo Itamar, há sim a disposição de reformar a unidade, mas o Executivo aguarda uma verba de R$217 mil que ainda não foi liberada. “O projeto já foi encaminhado ao Ministério da Saúde, mas ainda não tivemos resposta. Mas estaremos lá novamente e de imediato faremos uma força tarefa para uma boa limpeza no local. Começaremos a mexer no telhado e em seguida faremos a pintura e voltaremos com o postinho para lá”, revelou.
O secretário disse também, que os documentos já foram recolhidos e estão guardados na unidade do Progresso. Ressaltou ainda, que uma reforma mais detalhada, somente será possível com a liberação da verba do Ministério da Saúde.

Rosi Oliveira / Redação DS

Notícias da editoria