Diário da Serra

Visita de Bolsonaro ao Araguaia tem "invasão" de apoiadores e discurso inflamado contra a esquerda

Olhar Direto 05/06/2019 Política
Política

A visita do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ao Araguaia, na manhã desta quarta-feira (5), atraiu grande número de apoiadores do presidente das cidades de Barrado Garças (MT), Aragarças (GO) e adjacentes. Inflamados, os eleitores do presidente conseguiram furar o bloqueio da segurança presidencial para se aproximar do presidente. Aos gritos de “mito”, ouviram um discurso inflamado e ideológico de Bolsonaro, com críticas à esquerda, aceno aos caminhoneiros, menção à ideologia de gênero e à preservação da família.


 
Ao lado dos governadores Mauro Mendes (DEM) e Ronaldo Caiado (DEM), respectivamente de Mato Grosso e Goiás, Bolsonaro deu início ao “Juntos pelo Araguaia”, projeto de preservação ambiental que deve ser repetido em outras regiões do país. Ao tratar do meio ambiente, o presidente defendeu, ao mesmo tempo, a produção agropecuária brasileira. “Esse momento da revitalização da bacia do Araguaia, bem como outras que virão, pela frente são o maior exemplo que nós podemos dar ao mundo, que nós podemos sim cuidar do meio ambiente, mas perfeitamente casar com a economia, com o que se desenvolve nessa região, com o que o povo precisa e que o povo quer”.
 


Bolsonaro agradeceu ao carinho que recebeu dos mato-grossenses e goianos na manhã desta quarta. “A maior glória de um político é ser reconhecido pelo seu povo pelas suas políticas”, comemorou. “Meus amigos do Centro-oeste, eu digo-lhes, não existe satisfação maior do que estar no meio de vocês. Vocês têm Deus no coração, vocês preservam a família, vocês querem uma escola onde não haja ideologia de gênero, onde se respeitem as crianças. Vocês querem um local onde todos consigam trabalhar e ser respeitados. O governo não mais dividirá a nossa população, muito pelo contrário, cada vez mais unirá a todos vocês de modo que o Brasil possa sim colocar o nosso querido pais no local de destaque que ele muito merece”.
 
Além e falar dos produtores rurais e às famílias que ali assistiam seu discurso, Bolsonaro fez um aceno aos caminhoneiros durante seu discurso. “Apresentamos o projeto para fazer com que a CNH passe a sua validade de cinco para 10 anos, para que o caminhoneiro que transporta ali o que o Centro-oeste produz não perca sua carteira com 20 pontos e sim com 40 pontos. Por mim, eu botaria 60, porque afinal de contas a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil”, disse, arrancando aplausos.


 
Ao falar com o governador de Goiás, Bolsonaro ainda lembrou a eleição de 1989, quando Caiado concorreu à Presidência, mas acabou derrotado por Fernando Collor de Melo. “Lá atrás, ele previa o que poderia acontecer com o nosso Brasil se a esquerda chegasse ao poder. A esquerda chegou, Caiado, mas nós, quis o destino que nos encontrássemos na Câmara dos deputados, dois parlamentares, somando-se com mais alguns fizemos uma oposição ferrenha àqueles que queriam e estavam destruindo a nossa pátria”, afirmou. “Esse é um país cristão. Eles não nos derrotarão. O povo brasileiro sabe muito bem reagir e se comportar nesse momento”, completou.

 

Notícias da editoria