Diário da Serra

Escolas Estaduais iniciam greve em Tangará

Lucélia Andrade/ Redação DS 26/05/2019 Educação

João Batista e Che Guevara param totalmente atividades

Algumas escolas param parcialmente

A greve nas Escolas Estaduais de Tangará da Serra iniciam nesta segunda-feira, 27. Até o momento, segundo o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), subsede de Tangará da Serra, somente as escolas João Batista e Ernesto Che Guevara irão parar totalmente suas atividades e o restante parcialmente. A Escola 29 de Novembro não irá aderir a greve. 


“A greve inicia a partir de hoje [segunda], mas não significa que todas as escolas vão parar. Algumas já definiram totalmente e outras de forma parcial”, afirma a presidente da subsede do Sintep, Francisca Alda. Ela destaca ainda que a greve ocorre como um efeito dominó. “Conforme os trabalhadores se conscientizam sobre as retiradas de direitos,  vão parando também”, diz.


Francisca pede aos estudantes e famílias que observem e conversem com seus professores, de forma que acompanhem o movimento que está se estabelecendo.  Isso porque, ressalta, é uma greve que cobra basicamente  o cumprimento da Lei. “São leis,  conquistas. Direitos já adquiridos que o governador chega e simplesmente se acha no direito de retirá-los”, fala.


A pauta dos trabalhadores, destaca Francisca é basicamente a cobrança do cumprimento de leis.  São 16 pontos na pauta, segundo ela, que começa com a cobrança do RGA e da dobra do poder de compra que deveria acontecer no mês de maio, data base, passa pela infraestrutura nas escolas e posse do concurso público.


“Temos que alertar aos pais e a comunidade escolar que o básico dentro das escolas que é a garantia do funcionário, está sendo subtraído”, diz Francisca ressaltando que faltam até livros nas escolas. “A pauta é extensa. Os trabalhadores vem tentando diálogo com o governo e se não estabelece, a arma do trabalhador é a greve”, concluiu.
 

Notícias da editoria