Diário da Serra

ANÔNIMOS: Neusino Pereira, 26 anos ajudando a informar a população

Mano Reski / Redação DS 19/05/2019 Memória

Com oito anos de idade, Neusino já trabalhava na rua vendendo geladinhos no contra-turno da escola

Neusino Pereira da Silva

Assista vídeo sobre a matéria

Nesta edição da série anônimos, vou retratar um pouco sobre a vida de uma pessoa que conheço muito bem. Tive a oportunidade de trabalhar com ele no canal de televisão que antecedeu a TVCA em Tangará da Serra, a TV Terra, e também aqui no Diário da Serra, pois dado a nossa amizade e seu conhecimento com computador, numa época em que predominava a linha 486, foi nosso primeiro diagramador.


Naquela época, novembro de 1996, quando começamos o jornal, eu possuía um “potente” Itautec Pentium 75 com o windows 95, e veio me ajudar a diagramar o jornal já na sua primeira edição, trazendo seu próprio computador para facilitar o trabalho. Usávamos o page maker para realizar a tarefa e na primeira edição, com uma lâmina de duas páginas, ficamos uma noite toda para diagramar e mais umas três horas tentando imprimir a matriz no vegetal numa HP 5L e as páginas saiam todas desconfiguradas. Além de contar com a ajuda noturna do Salisburi (Sales), um expert em computadores da época, o negócio foi as 5 horas da manhã acordar um amigo e vizinho, o Itair Scarabotto que possuía uma impressora semelhante para fazer a impressão e somente depois disso levar para a gráfica realizar a impressão.


Comecei evidenciando este retalho da história, apenas para retratar a importância do Neusino Pereira da Silva na existência do Diário da Serra e por isso digno de estar nesta série, além de estar em Tangará da Serra há 44 anos, completa neste mês de maio, 26 anos trabalhando na comunicação, especialmente na televisão.


Ele nasceu na cidade de Eldorado, no Mato Grosso do Sul e veio para Tangará da Serra com apenas um ano de idade, no colo da Dona Maria Alves de Silva, esposa do Senhor Júlio Pereira dos Santos, que a época veio em busca de trabalho na abertura de fazendas, derrubando a mata, trabalho que foi muito intenso até por volta de 1990.


O Seu Júlio veio antes e depois de ganhar um terreno na cidade, localizado exatamente onde hoje é o Hospital das Clínicas, resolveu fixar residência, ou mais precisamente um barraco de lona no local, para onde trouxe sua esposa e o filho.


Neusino fez o primeiro grau todo na Escola Emanuel Pinheiro e o segundo grau na Escola 13 de Maio e durante o período de férias já ajudava o pai nas fazendas, fazendo a entrega de marmitas aos trabalhadores contratados pelo pai para a execução do trabalho.


Neusino tem cinco irmãos, quatro mulheres e um homem, sendo três mais velhos: Neli, Neuci, Nelson (in memórian) e as mais novas, Marli e Vanuza. O pai acabou falecendo em 1985 e posteriormente, em 2010 a mãe também faleceu, mas o Neusino teve muito tempo de convivência com os dois, dos quais recebeu grandes ensinamentos.


Com oito anos de idade, já trabalhava na rua vendendo geladinhos no contra-turno da escola, ganhando comissão sobre a venda que realizava para uma Senhora chamada Carmem. Com 16 anos arrumou seu primeiro emprego, foi trabalhar como cobrador na Multiplanta.


Em maio de 1993 com o início das atividades da TV Terra, afiliada à Rede Manchete, tivemos nosso primeiro contato, pois passamos a trabalhar juntos na emissora. Ele começou como iluminador para os trabalhos de reportagens, depois passou a operador de máster, a editor e cinegrafista. Ficou até 1998 na TV Terra que depois foi vendida para o Grupo Zharan e passou a ser TV Centro América, afiliada à Rede Globo e ele permaneceu na empresa até 2014.


Hoje Neusino trabalha na Rede TV canal 16, além de paralelamente realizar atividades com uma produtora de áudio visual. 


Coincidindo com o aniversário de Tangará da Serra, ele também comemora 26 anos na comunicação. Durante todo esse período, contribuiu de forma anônima com inúmeros profissionais da área para informar a população sobre fatos que aqui aconteceram.


Neusino tem quatro filhos, a Kamila que é formada em Engenharia Civil, o Jhonatam Administrador de Empresas e a Luana e a Mariana, 11 e 12 anos, respectivamente.



Notícias da editoria