Diário da Serra

Mato Grosso registra doze feminicídios

O Documento 15/05/2019 Polícia

Levantamento foi feito pela Coordenadoria de Estatística Criminal

Número é preocupante no Estado

Dos 207 homicídios registrados em Mato Grosso no primeiro trimestre deste ano, 24 envolvem vítimas femininas, e 12 foram identificados como feminicídios. O levantamento foi feito pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEAC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública, com base nos dados lançados no Sistema de Registro de Ocorrências Policiais (SROP) e informações fornecidas pelas Diretorias Metropolitana e de Interior da Polícia Judiciária Civil (PJC-MT).


Os números foram apresentados à Câmara Temática de Defesa da Mulher da Sesp, em reunião realizada nesta terça-feira, 14. Os casos tipificados como feminicídios correspondem a 50% das mortes de mulheres no estado registradas entre janeiro e março de 2019. Vale ressaltar que este é um levantamento prévio, que ainda pode sofrer alteração, em função do andamento das investigações. Isso porque em alguns casos o feminicídio é uma circunstância que surge no decorrer do inquérito.


A CEAC da Sesp-MT também fez o levantamento das principais ocorrências envolvendo vítimas femininas de 18 a 59 anos no período de janeiro a abril de 2019. Em Mato Grosso, o crime de ameaça continua sendo o de maior incidência, com 6.781 casos, mas apresentou redução de 2% em relação ao mesmo período de 2018, quando houve 6.936 ocorrências. Lesão corporal aumentou de 3.255 para 3.263, e o estupro apresentou redução de 146 para 122 casos.

 

Um dos casos foi registrado em Tangará da Serra

Conforme a estatística levantada pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEAC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), um dos 12 feminicídios registrados em Mato Grosso somente no primeiro trimestre desse ano aconteceu em Tangará da Serra. Trata-se de um caso que aconteceu no dia 25 de dezembro do ano passado, porém a vítima só veio a falecer no início de janeiro desse ano. O crime bárbaro aconteceu no bairro jardim Atlântida, onde uma mulher de 35 anos teve o pescoço cortado a golpe de canivete após uma discussão com o marido. Para os policiais, o acusado, de 27 anos, alegou que cometeu o crime em um ato de fúria. Ele chegou a foragir do local do crime, mas foi capturado no mesmo dia em uma região de mata durante ação conjunta das Polícias Civil e Militar. A vítima foi socorrida pela equipe médica e chegou a ser encaminhada em estado grave para Cuiabá, porém morreu no dia 08 de janeiro desse ano no Pronto Socorro da capital.


Durante depoimento prestado à autoridade policial, o acusado afirmou que tinha a intenção de matar a esposa ao desferir o golpe, e informou ainda que o casal já vinha em constantes discussões. No momento da prisão, o acusado apresentava sinais de embriaguez. Ele não possuía registros em sua ficha criminal. O casal era natural do município de Juína, e morava há dois meses em Tangará da Serra na data do crime.

RODRIGO SOARES / Redação DS

Notícias da editoria