Diário da Serra

Centro Nefrológico de Tangará da Serra realiza ação no 'Dia Mundial do Rim'

Redação DS 14/03/2019 Saúde

No centro da cidade, o grupo distribuiu água, aferiu pressão, verificou a glicose e, principalmente, falou sobre a prevenção

Saúde

Estima-se que haja atualmente no mundo 850 milhões de pessoas com doença renal, decorrente de várias causas. A Doença Renal Crônica (DRC) causa pelo menos 2,4 milhões de mortes por ano, com uma taxa crescente de mortalidade.


Para falar sobre o assunto e principalmente alertar a população sobre a prevenção de doenças renais crônicas, que o Centro Nefrológico de Tangará da Serra saiu as ruas do município nesta quinta-feira, dia 14,  Dia Mundial do Rim. “Saímos para falar para a população de Tangará da Serra a importância de cuidar deste órgão, tão vital”, fala a enfermeira Luciene Vieira Duarte, ao destacar que a data propõe uma maior conscientização sobre a alta e crescente presença de doenças renais em todo o mundo e a necessidade de estratégias para a prevenção e o gerenciamento de doenças renais. 


Assim, no centro da cidade, o grupo distribuiu água, aferiu pressão, verificou a glicose e, principalmente, falou sobre a prevenção. “Uma doença que tem um impacto muito grande na vida da pessoas e que prevenir é o melhor (…) então o que queremos deixar para a população de Tangará da Serra é que se cuide”.

 

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, são medidas concretas em todos os países para melhorar os cuidados dos rins:
– Incentivar e adotar estilos de vida saudáveis (acesso à água potável, exercícios, dieta saudável, controle do tabagismo. Muitos tipos de doenças renais podem ser prevenidos, retardados e/ou controlados quando medidas apropriadas de prevenção estiverem em vigor.
– Fazer o rastreio (screening) de doenças renais e uma intervenção de cuidados de saúde primários incluindo o acesso a ferramentas de identificação (por exemplo, análises de sangue (como a dosagem da Creatinina) e exames de urina. O rastreamento de indivíduos de alto risco e o diagnóstico e tratamento precoces são eficazes em termos de custo para prevenir ou retardar doenças renais em estágio terminal.
– Garantir que os pacientes com doenças renais, mesmo quando desprovidos de condições financeiras, recebam os serviços básicos de saúde que necessitam (por exemplo, o controle da pressão arterial e do colesterol, acesso aos medicamentos essenciais) para retardar a progressão da doença.
– Apelar ao poder público que implante e aprimore políticas transparentes que regulem o acesso universal e sustentável a serviços avançados de cuidados de saúde (por exemplo, diálise e transplantes) e uma melhor proteção financeira aos centros de tratamento à medida que mais recursos se tornem disponíveis.
-Quebrar barreiras socioeconômicas e expandir o acesso a serviços abrangentes para atender às necessidades da população é essencial para garantir uma atenção equitativa aos rins e aumentar a qualidade.

(Com informações Gilvan Melo - Serra FM)



Notícias da editoria