Diário da Serra

Selma: "Estou tranquila; não cometi crime e nem irregularidade"

Midia News 28/02/2019 Política
Política

A senadora Selma Arruda (PSL) voltou a negar que tenha cometido crimes referentes a gastos ilícitos durante a campanha eleitoral 2018.

Na segunda-feira (25), o Ministério Público Eleitoral cassação do diploma da senadora Selma Arruda (PSL) e de seus suplentes Gilberto Possamai e Clerie Fabiana.

 

Segundo a ação, Selma teria realizado arrecadação e gastos ilícitos de recursos, combinados com a prática de abuso de poder econômico, durante campanha.

 

“Quero deixá-los absolutamente tranquilos de que eu não cometi nenhum crime e nenhuma irregularidade no processo de disputa do ano passado. Nisso (e somente nisso) vocês podem acreditar”, disse a juíza aposentada em postagem nas redes sociais nesta quarta-feira (27).

 

“Estou tranquila. Não deixei e não deixarei de trabalhar um só minuto, pois confio em Deus, confio na verdade”.

 

De acordo com a Procuradoria Regional Eleitoral, ficou comprovado no processo que integrantes da chapa da candidata abusaram de poder econômico, assim como praticaram caixa 2 ao contraírem despesas de natureza tipicamente eleitoral.

 

O valor apontado pela investigação é de "R$ 1.246.256,36, quitadas com recursos de origem clandestina, que não transitaram regularmente pela conta bancária oficial".

 

“Eu jamais cometeria qualquer erro ou falha que manchasse a minha história ou que envergonhasse o povo do meu Estado, especialmente os 678.542 mato-grossenses que, mais do que seu voto de confiança”, afirmou.

 

Reprovação de contas

 

Por unanimidade, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) reprovou as contas de campanha da senadora, em sessão do dia 24 de janeiro.

 

A reprovação seguiu parecer da Procuradoria Regional Eleitoral, que apontava irregularidades na prestação de contas.

 

Em seu voto, o juiz relatou seis inconsistências que foram aponadas pelo Ministério Público Eleitoral e pela Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria do TRE.

 

Outra irregularidade salientada pelo magistrado foi que uma pessoa que trabalhou na campanha de Selma recebeu R$ 4,3 mil da então pré-candidata ao Senado, “o que poderia caracterizar antecipação de pagamentos ou pagamento de serviços típicos de campanha antes do período eleitoral”.

 

Confira postagem na íntegra:

 

Boa noite, pessoal!

 

Tenho visto a preocupação de muitas pessoas que acompanham meu trabalho, quanto a uma ação do Ministério Público Federal, pedindo a impugnação da minha eleição ao Senado. Bem, a minha defesa eu já fiz, na esfera competente e quero deixá-los absolutamente tranquilos de que eu não cometi nenhum crime e nenhuma irregularidade no processo de disputa do ano passado. Nisso (e somente nisso) vocês podem acreditar.

 

Eu jamais cometeria qualquer erro ou falha que manchasse a minha história ou que envergonhasse o povo do meu Estado, especialmente os 678.542 mato-grossenses que, mais do que seu voto de confiança... Me deram o aval, a credencial, a autorização para bem representá-los no Senado Federal e é a isso que tenho me dedicado 24 horas por dia, sem qualquer exagero. É uma questão de honra pra mim ser a senadora de Mato Grosso, atuante, eficiente, eleita legítima e democraticamente pelo voto popular, pois penso que é assim que alguém consegue assumir o cargo de senador da república: SOMENTE com o voto popular e, nesse quesito, graças ao povo de bem de Mato Grosso, ninguém obteve mais do que eu, no pleito de 2018. Fui a campeã de votos, com uma proposta clara da qual jamais esquecerei: lutar por leis mais justas e eficientes, lutar no combate à corrupção e assim, tornar a vida do povo brasileiro mais digna.

 

Quero aqui, expressar a minha eterna GRATIDÃO, às incontáveis manifestações de apoio que tenho recebido, tanto pessoalmente como por meio das redes sociais, de mato-grossenses que já perceberam o que está acontecendo. Porém, uma coisa eu digo a vocês: Estou tranquila, não deixei e não deixarei de trabalhar um só minuto, pois confio em DEUS, confio na VERDADE.

 

Declarações de apoio como a do meu amigo de Nova Mutum, que gravou um comovente depoimento de carinho, confiança e apoio expressados a mim. Muito obrigada, meu amigo. Agradeço também aos deputados estaduais do meu partido, o PSL, Sìlvio Fávero e Delegado Claudinei, por terem saído em minha defesa; às centenas de postagens feitas diariamente aqui na minha página de amigos e nos grupos de whatsApp. Enfim, eu resumiria tudo isso em três palavras muito potentes: FÉ, GRATIDÃO e ESPERANÇA!!

 

Fé em DEUS, Gratidão ao povo do meu querido Mato Grosso e ESPERANÇA de que a Justiça será estabelecida a bem da VERDADE! Foi verificada ainda a ausência de apresentação de contratos celebrados para serviços realizados no decorrer da campanha eleitoral. delas é o recebimento de duas doações, cujo somatório é superior a R$ 1.064,10, que não foram efetivadas através de transferência eletrônica entre as contas bancárias do doador e do beneficiário da doação.

 

Notícias da editoria