Polícia Civil prende acusado de ser mandante da morte de Mariana

Tangará em Foco 06/12/2018 Polícia
Polícia

A Polícia Judiciária Civil (PJC) prendeu na manhã desta quinta-feira, 6, um homem de 24 anos, identificado como Bruno Santos Souza, suspeito de ser o mandante do assassinato de Mariana Dutra Teixeira, 21 anos, morta de forma violenta com golpes de faca em uma região de mata próximo a garagem do transporte escolar, no Jardim Acapulco.


O menor, de 15 anos, que foi apreendido no dia 22 de novembro, disse, em depoimento à polícia, que iria receber R$ 5 mil para executar a jovem. O motivo seria o furto de um celular e postagens nas redes sociais. “O menor conta que receberia cinco mil reais do Bruno para matar a Mariana, ele inclusive, hoje apreendido em Cáceres, cobra e diz que quer receber o dinheiro”, disse o investigado da PJC Lázaro Ribeiro.


Bruno, morador do Jardim Califórnia, foi detido após a expedição de um mandado judicial.


Ele é suspeito de ter furtado o celular da vítima, porém, Bruno nega o fato, alegando que teria se apossado do telefone de Mariana, com o consentimento dela, para ser trocado por drogas. “Ela me deu o celular para trocar por pasta base, mas eu não consegui a droga, voltei pra entregar o celular, mas ela já tinha saído, aí fiquei com ele”, disse o suspeito.


Dias depois Mariana teria ido à Delegacia registrar um boletim de ocorrência pelo furto.


“O menor conta que a Mariana teria feito postagens em rede social ameaçando o Bruno, aí ele teria contratado o menor para matá-la”, relatou Lázaro.


Dias após o corpo de Mariana ter sido encontrado, em 21 de novembro, o pai de Mariana teria chegado a Bruno e recuperado o celular.


Bruno permanecerá detido preventivamente enquanto as investigações do caso continuam.

Notícias da editoria