Clima seco e quente aumenta focos de calor

Rosi Oliveira / Redação DS 13/09/2018 Polícia

A impressão é que o sol está próximo as cabeças

Termômetros tem batido 40º

Apesar de estarem acostumados ao calor, tangaraenses tem repetido constantemente a frase “que calor é esse?”. A impressão é que o sol está realmente próximo as cabeças das pessoas. Os bebedouros não gelam suficientemente a água, o ventilador repassa o vento quente e parece que o ar condicionado soa para fazer um friozinho. Batendo a marca dos 40º, com sensação térmica muito acima disso, os dias e noites tem sido quentes.


Devido ao clima seco, o número de focos de incêndio em Mato Grosso é assustador. Desses, dois foram registrados bem perto da capital do Estado que tem sofrido também, com a fumaça irritante. Na última semana, um incêndio nas proximidades do Coxipó do Ouro ameaçou o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães. Segundo o Corpo de Bombeiros, foram dois dias de combate as chamas.


O incêndio foi detectado no dia 8, por uma equipe do ICMBio, que tentou conter as chamas. Já no dia 9, foi solicitado reforço de equipes de solo e aérea. O fogo foi contido e a área do Parque de Chapada dos Guimarães não foi atingida.


Segundo o Corpo de Bombeiros, o incêndio destruiu uma área de 3,7 mil hectares.


Outro foi detectado no Morro de Santo Antônio em Santo Antonio do Leverger e desde segunda-feira, 11, os bombeiros e moradores lutam contra as chamas que se propagam com rapidez, graças ao vento e secura da vegetação.


Apesar de casos extremos não terem sido registrados em Tangará da Serra até o momento, o Corpo de Bombeiros  revelou que em agosto o Município registrou 75 atendimentos, três vezes maior do que o acumulado no mesmo período de 2017, quando 25 chamados foram realizados, representando um aumento de 200%.

Notícias da editoria